Gripe H1N1 – Esclareça suas dúvidas

Gripe H1N1 – Esclareça suas dúvidas

 

12799420_1599558673702967_3236332040246772499_n-350x350 Gripe H1N1 - Esclareça suas dúvidas

Esse ano os vírus chegaram com força total e antes do esperado. Está ocorrendo um surto de gripe por vírus influenza H1N1 no país, principalmente na região Sudeste. Segundo a Secretaria de Saúde do estado de São Paulo, até 22 de março foram notificados 260 casos e 38 mortes pelo vírus H1N1 (para se ter uma ideia da gravidade, esse número já ultrapassou as 28 mortes ocorridas devido ao vírus durante todo o ano de 2015).
Vamos esclarecer aqui algumas dúvidas a respeito da infecção pelo H1N1.

image-1-280x350 Gripe H1N1 - Esclareça suas dúvidas

O que é o H1N1?
É um subtipo do vírus influenza, o vírus da gripe.

Quais os sintomas da infecção pelo H1N1?
Os sintomas são similares aos da gripe comum, embora geralmente mais intensos, e incluem febre, dores no corpo, congestão nasal, tosse, garganta inflamada, dor de cabeça, calafrios e cansaço. Pode evoluir para formas graves com pneumonia, falência respiratória e até mesmo óbito, principalmente em crianças abaixo de 2 anos, idosos e grávidas.
Veja abaixo quadro comparativo dos sintomas da gripe comum e da gripe por H1N1.
(Quadro de sintomas)

Quem tomou a vacina no ano passado precisa tomar de novo?
Sim. O vírus da gripe geralmente sofre mutações e todos os anos uma vacina nova é feita a partir dos vírus circulantes. O H1N1 não tem mutações relatadas e a cepa presente na vacina é a mesma do ano passado mas mesmo assim é necessário se vacinar novamente pois a quantidade de anticorpos cai bastante após cerca de 8 a 10 meses da vacina.

Crianças podem tomar a vacina?
Crianças a partir de 6 meses podem tomar a vacina. Em bebês abaixo dessa idade e que mamam no peito é recomendado que a mãe tome a vacina pois dessa forma o bebê acaba recebendo os anticorpos através dela.

Quais as vacinas disponíveis?
– Trivalente: protege contra 2 tipos de vírus A (incluindo o H1N1) e 1 tipo de vírus B. Essa é a vacina que será disponibilizada nos postos de saúde durante a campanha de vacinação.

– Tetravalente/quadrivalente: protege contra 2 tipos de vírus A (incluindo o H1N1) e 2 tipos de vírus B. Essa vacina tem 2 tipos, produzidos por 2 laboratórios diferentes sendo que um deles só pode ser aplicado a partir de 3 anos de idade (informe-se na clínica qual a vacina disponível).

A vacina trivalente chegou nas clínicas na semana passada e a tetravalente já está chegando em algumas clínicas e em outras irá chegar no começo de abril.

Devo já vacinar com a trivalente que já chegou na clínica ou esperar a tetravalente?
A maioria dos pediatras e infectologistas estão orientando que seja feita a vacinação o quanto antes devido ao surto de H1N1. Em crianças que necessitem de dose de reforço, esta poderá ser feita com a tetravalente quando chegar.
Converse com seu pediatra e siga a orientação dele.

Já tem a vacina no posto de saúde?
Está prevista campanha nacional de vacinação contra a gripe para o período de 30 de abril a 20 de maio. Por enquanto só é possível encontrar as vacinas em clínicas particulares ao custo de cerca de 100 reais.
O Ministério da Saúde anunciou que os primeiros lotes de vacina começaram a ser enviados no começo de abril e deixou a critério de cada estado antecipar ou não a vacinação para grupos de risco.
A Secretaria de Saúde de São Paulo anunciou a antecipação da vacinação em rede pública para idosos, gestantes, crianças abaixo de 5 anos e funcionários da área da saúde, com programação de início em 10 de abril.

 Quais as reações da vacina?
Dor e vermelhidão no local da aplicação e em pouquíssimos casos febre.
‼️Importante lembrar que a vacina não provoca gripe pois é composta de vírus mortos!! A pessoa que toma a vacina e desenvolve sintomas respiratórios provavelmente pegou outro vírus ou ainda não teve tempo suficiente para a proteção vacinal estar efetiva (são necessárias pelo menos 2 semanas para a produção dos anticorpos induzidos pela vacina).

Quais são os sinais de que a gripe está evoluindo para algo preocupante?
Fique atento para alguns sinais de alerta: falta de ar, tontura, vômitos persistentes, dificuldade de ingestão de líquidos, prostração excessiva, irritabilidade, dores abdominais, piora da tosse, manutenção de febre por mais de 72h e manchas no corpo.

Como evitar a infecção?
A contaminação se dá por meio secreções eliminação através de tosses e espirros e também por contato com objetos (o vírus pode sobreviver por mais de 2h em objetos como mesas e maçanetas!). Portanto as principais formas de prevenção são: evitar aglomerações, evitar proximidade com pessoas doentes, evitar contato frequente das mãos com olhos, boca e nariz e principalmente, lavar muito bem as mãos!